Características do Mapa Auricular Chinês

AURICULOTERAPIA – MAPA AURICULAR

O mapa auricular desenvolvido pelo fisioterapeuta Thiago Nishida tem o objetivo de facilitar o trabalho dos profissionais que atuam com Auriculoterapia.

No mapa não existem desenhos de partes anatômicas (como pé, coluna etc), vê-se regiões delimitadas por formas geométricas e dentro delas o nome da região. Essa região é onde localiza-se a área reflexa daquele órgão, tecido, músculo…

Desenvolvimento do mapa:

 primeiromapa

Primeiro desenho da orelha limpa, ainda sem pontos.

O desenvolvimento do mapa auricular iniciou após alguns anos de prática, no início foi baseado em todos os mapas disponíveis no mercado e na internet (todos que encontrou). Colocados lado a lado, fez-se um novo mapa com os pontos em comum de cada mapa. Houve muita divergência, estas eram colocadas com pontos de outra cor.

Após esse primeiro mapa, o próximo passo seria a prática. Atendendo a pacientes na clínica, nos cursos ou atendendo dentro das empresas, os pontos eram testados um a um e mesmo compreendendo que não é uma pesquisa científica, foi descoberto quais pontos eram mais eficazes e quais menos eficazes e onde estes se localizavam.

Um fato de extrema importância foi confirmado pelas teorias da Auriculoterapia Francesa, quando o ponto auricular dói (exceto cravos, espinhas, etc), existe 99% de chance de ele ser patológico e quando estimulado (por agulha, semente, esfera, magneto, etc) dá resultado.

Detalhes específicos do Mapa Auricular:

Região do ombro: No mapa auricular têm a região do ombro que é muito extensa. Isso ocorre por que essa região abrange todo o complexo do ombro: escápula, úmero, clavícula e costelas (na mesma altura da escápula), músculos, ligamentos, nervos e bursas da região. Isso tornou muito mais prático, pois em diversos mapas vê-se: ponto do ombro, ponto articulação do ombro, etc. Na opinião do autor isso dificulta a auriculoterapia, pois ficam muitos pontos em uma região pequena que levam alguns praticantes a confusão e insegurança.

orelha_membroinferior

Membro superior, membro inferior e coluna: no mapa, Thiago Nishida achou mais simples colocar somente os nomes de algumas regiões e fazer um contorno ligando eles. Assim tem-se o membro inferior inteiro, somente com pontos principais; quadril, joelho, tornozelo, calcâneo e artelhos. Obviamente entre o quadril e o joelho fica a coxa (fêmur, quadríceps, bíceps femural, veias, artérias, nervos, etc) mas não está escrito, pois qualquer profissional da área da saúde consegue distinguir esses detalhes.

 orelha_ombro

Pontihados: Vê-se três linhas curvas pontilhadas, uma na hélice da orelha, outra na região do trago e a última na região do anti-trago.

Na linha pontilhada da hélice, quis colocar onde a hélice faz a volta e torna a voltar para a frente

Na linha pontilhada do trago: essa linha é facilmente sentida quando se palpa o trago. ela é levemente curvada. O trago é uma região de cartilagem plana, parecida com um prato, e no final dela está a ATM (articulação temporo mandibular).

Linha pontilhada do anti-trago: essa linha delimita o anti-trago do lóbulo. O trago acredito que é a região mais diferente de uma pessoa para outra.

Por que não tem parte posterior da orelha: Segundo os especialistas, inclusive o Dr. Wu Tou Kwang, diretor do CEATA, os pontos que estão na parte anterior da orelha também estão na mesma região da parte posterior. Aprendendo a parte anterior, já está aprendendo a parte posterior. Pela experiência de Thiago Nishida, muitas vezes é possível usar as duas áreas (anterior e posterior) simultaneamente (nesse caso indica o uso de sementes ou esferas) para potencializar o estímulo do ponto.

Características técnicas:

caracteristicas

Tratamentos indicados no mapa:

Acne Constipação Gripe Pneumonia
Alcoolismo Crise Hipertensiva Hemorróida Prurido Vulvar
Amenorréia Depressão Hepatite Retenção Urinária
Ansiedade/Tensão/Neurose Dermatite Hipertensão Arterial Rinite
Artrose de Joelho Disenteria Hipoacusia Seqüela AVC
Asma e Bronquite Dismenorréia Hipotensão Arterial Síndrome do Impacto
Bursite Trocanteriana Dor de Dente Impotência Síndrome do Piriforme
Cãimbras Dor de garganta (laringite/faringite) Insônia Síndrome do Túnel do Carpo
Catarata Dor de Ouvido Lombalgia Sinusite
Cefaléia Frontal Entorse de Tornozelo Lombociatalgia Stress
Cefaléia Occipital Epicondilite Lateral Náusea Tabagismo
Cefaléia Temporal Esporão de Calcâneo e Fascíte Plantar Neuralgia Intercostal Tensão Pré Menstrual
Celulite Fibromialgia Obesidade Trauma (contusão, mas sem fratura)
Cervicalgia Frigidez Osteoartrose de Quadril Vertigem
Cervicobraquialgia Furúnculo Palpitação/Arritmia Zumbido
Conjuntivite Gastrite Paralisia Facial

Thiago Nishida